“Sopa de letrinhas” do ROTEM

Temograma

O ROTEM® pode parecer uma verdadeira “sopa de letrinhas” mas fica fácil de memorizar quando se entende o método do teste por etapas sequenciais. Atualmente a coagulação é explicada pela ativação de fatores formando agregados nas superfícies celulares de plaquetas, endotélio… formando os chamados complexos tenases da coagulação.

Após a ativação dos primeiros fatores de coagulação, um evento será o divisor de águas na etapa de Iniciação, que é a formação da Trombina (IIa). Nesse momento tem-se o início das reações na superfície das plaquetas devido à intensa ativação plaquetária produzida pela Trombina. A agregação plaquetária é iniciada e os complexos tenases são amplificados. Essa é chamada de fase de Amplificação que também conta com a importante participação da Trombina convertendo o Fibrinogênio (I) em Fibrina (Ia). À medida em que a Fibrina vai sendo formada, uma outra reação acontece que é a polimerização da Fibrina, nessa fase acontece a Propagação do coágulo e conta com a agregação plaquetária, a matriz de Fibrina e o fator estabilizador da fibrina (XIIa).

Identificamos então 3 fases: Iniciação onde acontece a ativação dos fatores de coagulação; a Amplificação onde acontece o início da formação de Fibrina com agregação e ativação plaquetária; e a Propagação onde existe a polimerização da fibrina e constituição do coágulo completo.

O ROTEM® avalia essas três fases e também a fibrinólise que é um evento posterior em condições normais.

Parâmetros de ativação e polimerização

CT (Clotting Time): tempo do início do teste até a amplitude de 2mm do trombo. Representa a velocidade de formação da trombina. É influenciado por deficiência de FC ou seus inibidores bem como fatores teciduais expressos em monócitos, plaquetas…

CFT (Clot Formation Time): tempo entre as amplitudes de 2mm e 20mm do trombo. Representa a cinética do trombo. É influenciado por FC, quantidade e função das Pqts, fibrinogênio e polimerização.

Ângulo alfa: ângulo entre a linha de base e o ponto da curva em 2mm de trombo. Representa a velocidade de formação do trombo.

Parâmetros de firmeza do coágulo

MCF (Maximun Clot Firmness): amplitude máxima do coágulo. Representa a firmeza do trombo. É influenciado por quantidade e função das Pqts, fibrinogênio, polimerização, Fator XIIa e colóides.

A5, A10, A20 (Amplitude 5, 10, 20min after CT): medem amplitude do trombo em 5min, 10min e 20min. Úteis para ganhar tempo.

◦ INTEM e EXTEM tem boa correlação com o MCF

◦ FIBTEM tem boa correlação com a concentração de fibrinogênio

◦ Existem trabalhos que correlacionaram o A5 no EXTEM com hiperfibrinólise.

Parâmetros de lise do coágulo

ML (Maximum Lysis): Lise máxima medida em % de redução da amplitude do coágulo após o MCF. Representa a ação de enzimas fibrionolíticas, inibidores da fibrinólise e Fator XIIa.

LI30, LI60 (Lysis Index 30, 60min after CT): representa a % do MCF ainda presente em 30min e 60min após o CT.

ROTEM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *