Veia Subclávia ou  Veia Axilar?

Antes do advento do USG para punção venosa central, qualquer punção realizada próxima à clavícula era rotulada de punção na veia subclávia. Alguns puncionam mais próximo do esterno, outros no terço mais distal, mas todos registravam como veia subclávia.

A era de punção venosa central guiada por USG começou com as veias jugulares, trouxe muitas informações novas e derrubou alguns paradigmas da técnica por marcos anatômicos. Em pouco tempo sugiram críticas sobre a nova técnica e alguns mitos foram “fabricados”. O principal mito é que não é possível puncionar a veia subclávia usando o USG, pois essa veia fica protegida pela clavícula e o USG não atravessa o osso!

Vamos esclarecer e organizar essa confusão.

Anatomia sonográfica

As veias do braço, braquiais, basílica e cefálica (principais) se unem para formar a veia axilar, que passa medial e anteriormente em relação à artéria axilar e dará origem à veia subclávia após passar da margem lateral da primeira costela.

A punção guiada por USG da veia subclávia e da veia axilar vem sendo cada dia mais estudada e já existem recomendações específicas para essa punção. Ao contrário da veia jugular, na qual não há diferença entre a punção no corte longitudinal ou transversal, as veias axilar e subclávia são mais fáceis de serem puncionadas no eixo longitudinal. A veia axilar no sítio infraclavicular e a veia subclávia no sítio supraclavicular.

Tecnicamente um pouco mais difícil, mas perfeitamente factível quando se tem experiência em punção da jugular, um transdutor adequado e uma janela sonográfica adequada.

 

Fonte: Gray Anatomia Básica, 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *